Clique-para-ampliar
Liberação do benefício aquece a economia nos municípios
Clique-para-ampliar
Continua o pagamento das contas inativas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para trabalhadores nascidos nos meses de setembro, outubro e novembro. Previsto inicialmente para o dia 16, o pagamento da quarta fase foi antecipado, beneficiando mais de 7,5 milhões de brasileiros.

O valor total disponível ultrapassa R$ 10,9 bilhões e equivale a aproximadamente 25% do total disponível. Mais de 2,4 milhões de trabalhadores receberão seus recursos automaticamente via crédito em conta poupança da Caixa, que representa R$ 2,9 bilhões em recursos.

O pagamento das contas inativas começou em 10 de março e vai até o dia 31 de julho deste ano, de acordo com o mês de aniversário do trabalhador.

A liberação do benefício tem movimentado a economia local, principalmente o setor comercial com o pagamento de contas e aumento do consumo. De acordo com o Diretor para assuntos do Comércio da Acivale, Rodrigo Pagani Destro, a liberação do FGTS foi muito importante não só para o município, mas para todo o país. “Ele estava parado e indisponível na mão do governo rendendo um juro irrisório. O recurso foi liberado numa hora certa, no momento que a economia mais precisava e nas mãos das pessoas que mais necessitavam, sendo utilizado nas compras e no pagamento de dívidas, movimentando o comércio”, relata.

Segundo o gerente geral da Caixa Econômica Federal de Braço do Norte, Fabricio da Silva Zampieri, o fundo continua sendo liberado. “A estimativa é passar os R$ 10 milhões até 30 de julho liberados para Braço do Norte, Grão-Pará, Rio Fortuna e Santa Rosa de Lima e São Ludgero”, informa.

 
Balanço acumuado

Entre os dias 10 de março e 2 de junho, a Caixa registrou o pagamento de mais de R$ 27,6 bilhões relativos às contas inativas do FGTS. O número de trabalhadores nascidos entre janeiro e agosto que já sacaram alcançou 16,3 milhões de pessoas. O valor equivale a 95,2% do total inicialmente previsto (R$ 29,1 bilhões) e aproximadamente 81% dos trabalhadores (20,1 milhões), nascidos entre janeiro e agosto, beneficiados pela Lei 13.446.