Clique-para-ampliar
Entidades empresariais protocolam questionamentos junto à ANTT
Clique-para-ampliar
Representando cerca de 35 mil empresas dos mais diversos ramos de atividade no Sul do Estado, as Associações Empresariais do Sul do Estado de Santa Catarina, entre elas a Acivale (Associação Empresarial do Vale de Braço do Norte), juntamente com a Facisc (Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina), protocolaram nesta terça-feira, 30, um documento que levanta uma série de questionamentos sobre o processo de Concessão da BR-101, trecho sul, entre Paulo Lopes e São João do Sul, à iniciativa privada até o fim de 2019 pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Após o leilão do trecho, no próximo ano, quatro pedágios poderão ser instalados. As praças ficariam em Laguna, Tubarão, Araranguá e São João do Sul. A princípio, o valor máximo da tarifa nos pedágios seria de R$ 3,97, com base de 2016. As entidades elencaram alguns pedidos de revisão como o valor da tarifa, redução das praças de pedágio e recálculo dos custos.

 O documento ainda solicita que o órgão nacional informe os resultados práticos das audiências públicas, e a adequação dos resultados do edital com as sugestões que definirão um melhor modelo para os parâmetros da concessão. “Reiteramos que um dos anseios do meio empresarial da região Sul de Santa Catarina é o crescimento das atividades econômicas, alavancados por melhores condições de infraestrutura que impactem diretamente na economia regional e estamos à disposição para ajudar a construir e debater a melhor forma de realização dessa concessão”, enfatizam o presidente da Acivale, Roberto Michels.
 
Sugestões apresentadas pelas entidades:
Tarifa Teto Prevista: Realizar novo estudo de medição do tráfego no trecho sul e adequar o valor do teto previsto no edital para o valor já praticado atualmente no trecho norte da mesma rodovia, em R$ 2,70 base outubro de 2018.

 Redução das Praças de Pedágio: Reduzir o número de praças de pedágio para apenas duas unidades, mantendo as previstas para em P2 - Tubarão - km 346 e P4 – São João do Sul - km 460.

 Recálculo dos Custos: Realizar um novo cálculo dos custos, com base na redução de praças e das tarifas, considerando uma necessidade de investimentos em duas etapas de 5 anos cada uma, considerando a redução no número de equipamentos e mão de obra necessários e realizar a abertura da planilha de composição desses custos ao público.